Tuesday, 23 October 2007

"l'attente" (1905)




pintada de vestidos vermelhos
com um lenço a esvoaçar no parapeito da janela

espero

envolta de um silêncio que não se sabe ornar de palavras
de suaves segredos que não têm princípio nem fim

espero

na terra dos ternos sussuros
onde as horas se mascaram de minutos
e os minutos se derretem como chocolate no céu da boca

espero
e não é espera
a minha espera

é esperança
como quem espera
com um sorriso que prepara a vinda de um novo messias
qual promessa escondida atrás dos sonhos
a minha espera é leve e terna e maravilhosa
como a esperança de uma criança que enfim se faz luz



5 comments:

magarça said...

Tão bonita espera só pode ter um final feliz :)

Anonymous said...

Gostei, e penso, que há aqui, como dizia o poeta :" um peso,que sendo granítico, porque á Cidade do Porto, diz respeito, é tornado leve , pela beleza das palavras "

Né " tudoanorte"

awake said...

...* ...*

rita nova said...
This comment has been removed by a blog administrator.
isabel said...
This comment has been removed by the author.