Tuesday, 20 November 2007

verdadeiras amizades




passa pouco das oito da manhã
imaginemo-nos uma semana atrás

entramos no 732
restelo - campo pequeno
lugares sentados disponíveis [reconforto]
o sono pesa em cada pedaço de pálpebra


num cenário destes, ainda no limbo entre o sono e a vigília, há lugar para tudo, inclusivamente para aqueles inesperados cruzamentos de vidas que se desconhecem e se continuarão a desconhecer entre si.

um senhor sem rosto conversa com o seu vizinho do lado e eu escuto-lhe um pequeno retalho:

- "... isso é que era liberdade! andar para todo o lado... agora, sem poder, é mais difícil. eu, quando era novo, ia ao cinema todas as quatras feiras. já nessa altura eu era muito amigo do cinema!"


mordiscada por um sopro de manhã gelada, sorri às escondidas, clandestina e divertida na minha invisibilidade.

[ser muito amigo do cinema parece-me, subitamente, um perfeito e memorável previlégio...]

(imagem de Moumine)

3 comments:

candido.filho said...

prontamente de acordo. adoraria ser amigo do cinema. :D

Flávia Vida said...

perfeito!

gostei por demais dessa. adoro os continhos do seu cotidiano ...

beijos
:*

joao said...

ser amigo do cinema eh para quem pode, e naum pra quem quer...